sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Pneumático

     A vontade que dá é processar a prefeitura, mas aí eu acalmo meus nervos germânicos e lembro que eu moro em Gigifora, Minagerais, Brasil. Não se tem resultado processando a prefeitura porque você bateu com um pneu num meio fio solto e enorme. Não dá.
     Aí o que acontece é que você fica é se sentindo um lixo de motorista, fica dois pneus mais pobre e segue a vida.
     Sinceramente, sem aquele papo de "ah, isso é Brasil"; "que lixo de país" porque meio fio solta em qualquer lugar do mundo. O que me incomoda é quando a gente lembra que o meio fio solto é a metáfora pra toda uma estrutura em que a presidente quer diminuir a quantidade de matérias que tem na escola porque a quantidade que tem hoje desestimula os alunos, além de ter feito cortes imensos (os maiores) no orçamento do Ministério da Educação e assim, com tudo isso e muito mais, que nem é culpa dela, a gente vai vendo cada vez mais um buraco em espiral, de que eu, sinceramente, não sei como sairíamos. Até faço certa ideia. Mas estamos aí, panis et circensis nunca foi tão atual.
     Não, a culpa do meu pneu furado não foi do governo, foi minha, é só que quando acontece uma coisa ruim a gente lembra que essa coisa ruim tem relação com coisas péssimas. E aí a gente fica triste.
     Climão, hein? Acho melhor ler o post de Boston aí de baixo, muito melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário