quinta-feira, 15 de maio de 2014

Ruivo acobreado: agora sim

     Depois de um desbotamento massivo, sangue, suor, lágrimas e água de salsicha escorrendo ralo abaixo, estou com uma preguiça macunaímica que colocar todas as fotos do processo aqui. O que importa é:

1) Cheguei na cor que eu queria. A Larissa, do Travestices, me lembrou que antes de enruivar eu falava da Christina Hendricks. Diva. Pois é. Cheguei lá.

2) Meu cabelo estava muito vermelho, quase fantasia. Eu gostei muito, ficou poderoso, mas não era exatamente o que eu queria. E acabei percebendo que minha alegria de mudar de cabelo suplantou a percepção de que ele não era o que eu pedi no salão. O trabalho do profissional foi excelente, o cabelo saiu de lá lindo, mas ele falhou no quesito: "quero essa cor".

3) Depois de passar pelo desbotamento, pela tonalização em um tom muito escuro e rosado, pelo segundo desbotamento, decidi que ia tomar posse do meu acobreado: fui pesquisando e enchendo a Larissa tododiatodahora até chegarmos à conclusão do tom que eu queria: é preciso que a gente entenda que o ruivo (não o vermelho, o ruivo) é um loiro acobreado. Ou seja: fui de 8.4 (altura de loiro claro com reflexo cobre).

4) Pintei o cabelo em casa com uma tinta ótima, mas, como visualmente minha raiz estava mais "escura" que o resto, joguei a tinta primeiro na raiz, causando que ela tenha feito muito mais efeito ali (por ficar mais tempo E por ser o local mais quente e tal). Ficou um tom lindo, mas desigual em relação ao resto do cabelo.

5) Com esse ombrè estranho, perdi a coragem de fazer em casa a "correção" (entre aspas porque tava bonito, mas não era o que eu queria). Fui num salão super caro e famoso aqui em Juiz de Fora e ouvi que teria que jogar um tom 6 no meu cabelo. Na melhor das hipóteses um tom 6.7, ou um 5.7. Chocolate. Gente, fiquei em pânico. Castanho não me pertence desde os 14 anos. Não seria agora. Saí de lá com a perspectiva de ficar muito morena e 170 reais mais pobre (sim, muito caro). Eu até tentei argumentar que poderia jogar um 8.4 com ox de 30, um mix, fazer um Dekap Color (do qual ela nunca havia nem ouvido falar) mas não adiantou. Era castanha a solução.

6) Corri pra Mega Vale (pras colinas). A Renata, promotora da Alfaparf e super sabida de colorimetria já me atende a eras e só confio nela naquele mar de atendentes que, muitas vezes, me mostraram que não sabem nem o que é uma parafina e porque evitá-la. Ela me levou ao guru colorista Edilson, técnico que trabalha lá dando consultoria e aplicando produtos.

PAUSA PARA A DESCOBERTA DA PÓLVORA: você sabia que existe um tal de compre-e-aplique na Mega Vale? Você só paga pelo produto e esse cabeleireiro excelente (tem outras pessoas lá, mas assim, ele é muito bem mesmo) aplica o produto pra você. Sem custo.

Ele analisou meu cabelo, perguntou o que tinha de química ali e depois de eu explicar toda a minha história resumida, em uns 40 minutos, ele deu o veredicto: 8.4 da Alfaparf com mix Arancio (laranja) e ox 30). Ou seja: dei um banho na moça do salão caro.

7) No outro dia estava eu lá, pintando o cabelo das pontas para a raiz e saindo de lá com o cabelo mais cobre do Brasil. Tanto que eu achei que tinha puxado pro vermelho, mas depois vi que era apenas um laranja acobreado MUITO profundo.
Cor de ferrugem. Muito lindo!
Sem decapar nem nada o profissional usou a 8.4 da Alfaparf com 10cm de mix Arancio e 2 ox de 30 (tudo da Alfaparf). Essa coisa de que puxa pro marrom, que já ouvi falar, não rolou no meu cabelo. A base estava um loiro altura 11, um 6644 totalmente desbotado com manchas devido à coloração ter pegado desigualmente e, finalmente, um 834 também desigual (834 na raiz fazendo um degrade ate um 74 nas pontas, acho).
Com a manipulação correta da aplicação e tempo, consegui um tom lindo e uniforme. Principalmente não puxado pro vermelho e com cara de gente rica.
Minha câmera não está conseguindo captar a cor. Em todas as fotos parece que está muito vermelho, quando, na verdade, estou assim. Perdão, sociedade:


 Acho que com algumas lavagens ele desbotará assim:

http://curitibainenglish.com.br/wp-content/uploads/2013/04/Christina-Hendricks-Easy-Living-3.jpghttp://img2.timeinc.net/instyle/images/2014/WRN/031214-christina-hendricks-320.jpg


Que triste.

2 comentários: